No trabalho da WIEGO com catadores no Brasil durante o Estudo de Monitoramento da Economia Informal e o Projeto Gênero e Resíduos (sumário executivo em português), os catadores identificaram preocupações sobre problemas de saúde que enfrentam. Esses problemas iam desde a exposição crônica a perigos, como contaminantes biológicos, produtos químicos e roedores, a dores musculares por movimentos repetitivos, a tensões interpessoais que surgem de processos desorganizados.

Para obter uma compreensão mais clara desses riscos, a WIEGO empreendeu o Projeto Cuidar para mapear os riscos para a saúde, bem como examinar as estratégias de enfrentamento dos catadores e o acesso aos serviços de saúde. O projeto também está criando e testando ferramentas, atividades e métodos de feedback, incluindo o uso de diferentes mídias, para aumentar a conscientização sobre os problemas de saúde dos trabalhadores e das mulheres.

 


Fotos: Bruno Greco

Uma iniciativa conjunta do Programa de Políticas Urbanas do WIEGO, Programa de Proteção Social e cooperativas de reciclagem de resíduos em Belo Horizonte, este projeto de pesquisa-ação tem como objetivo contribuir para aumentar a conscientização sobre os riscos para a saúde entre os catadores, compartilhar conhecimento de saúde e melhorar as conexões parceiros na área da saúde, o que, com sorte, levará a intervenções direcionadas para diminuir os riscos para a saúde. Em sua segunda fase, o projeto trabalhará para ampliar as discussões além do local de trabalho e realizar atividades de advocacia para que os profissionais de saúde entendam melhor as vulnerabilidades enfrentadas pelos catadores.

Os grupos focais realizados desde o lançamento do projeto foram produtivos, com os catadores envolvidos com entusiasmo. Muitos observaram que falar sobre os problemas é, por si só, terapêutico (lea la pagina en español).